Páginas

terça-feira, 26 de junho de 2018

RESENHA | NÃO SE ENROLA, NÃO


Autora: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Ano da Edição: 2016
Páginas: 224


Enrolar-se: pensar de um jeito e fazer exatamente o contrário. Não sei por que a gente se enrola tanto. Diz que não quer, não diz o que deveria e, quando se dá conta, está ocasionalmente enfiando a língua na boca de alguém, sem saber ao certo que relacionamento é esse. Convenhamos, meu cupido só pode ser surdo. Tudo que pedi foi um amor fofo, um amor coloridinho. Mas ninguém me disse que EU é que teria que colorir, né? Sinceramente, esperava bem mais desse tal de amor.



Terceiro livro da Isabela Freitas e, depois do primeiro (Não Se Apega, Não), este eu amei demais. Impressionante como sempre me identifico com os livros dessa série e sempre leio quando meu momento bate com o enredo em questão.

Continuação do Não Se Iluda, Não, a autora retrata a vida adulta dos personagens com a independência e a responsabilidades presentes no pacote. Acho maravilhoso acompanhar o crescimento de todos eles, principalmente da Isabela, no decorrer das publicações. 

Após o crescente sucesso de seu blog, Garota em Preto e Branco, e em busca de realizar se sonho de ser escritora, Isabela larga o curso de Direito em Juiz de Fora - MG e vai embora para São Paulo. Consegue um emprego como escritora de uma grande revista e entre artigos e mais artigos ela escreve seu primeiro livro. Um processo que não é tão fácil quanto ela imaginava.


Tudo está indo muito bem para Isabela, até que a vida começa a complicar um pouquinho. Como sempre né - hehe. Lembram do Pedro Miller, o melhor amigo da Bela? Pois bem, ele também mudou-se para São Paulo em busca de realizar seu sonho de ser um musico de sucesso e como o destino escreve certo por linhas tortas, ele vai morar, exatamente, no apartamento em frente ao de Isabela.

Sim, são vizinhos e isso tem seu lado bom e ruim. Bom porque toda essa mudança é muito dificil na vida de qualquer um. Você largar tudo, família, estabilidade, amigos, para morar sozinha em uma cidade grande como São Paulo faz qualquer pessoa ter umas crises de ansiedade de vez em quando.

Ter alguém conhecido e de confiança por perto ajuda a segurar a barra da solidão e da saudade para seguir em frente.

O lado ruim é que a carência também aparece de vez em quando e, ou você faz coisas que não faria racionalmente ou cria coragem para fazer o que sempre quis mas guardava como um segredinho só seu.



Digo isso porque essa aproximação entre Isabela e Pedro vai fazer eles sentirem coisas diferentes em relação aos dois e acabam começando um relacionamento meio torto, sem definição que ela chama de "isso". 

"Isso" é uma amizade colorida. Já tive algumas, inclusive passei 10 meses mantendo "isso" com meu atual namorado antes de começarmos um relacionamento sério. Nada mais é do que a parte boa de um namoro: você tem uma amizade com a pessoa; sai pra curtir frequentemente; dividem experiências, angustias, raivas; fazem vários programinhas. Parece perfeito né?

O ruim é quando um dos dois começa a gostar mais, começa a sentir ciumes, a querer mais do que tem, a se apegar e não poder cobrar nada. Sim, não existem cobranças por mais atenção, carinho ou presença na amizade colorida pois NÃO É UM NAMORO. E no final, alguém acaba magoado. Eu já fui esse alguém várias vezes (canceriana né mores).

Enfim, o livro vai nos mostrar todo o amadurecimento do casal, principalmente da Bela. Podemos acompanhar os altos e baixos dos caminhos que ela e Pedro percorrem em busca de realizar seus respectivos sonhos e como eles lidam com todas as mudanças que a vida adulta trás sem aviso prévio.

Isabela Freitas, em alguns vídeos no Youtube, falou que sempre quis escrever sobre esse tema e que os dois primeiros livros a levaram a isso. Ela revelou que foi uma experiência única e que amou bastante o resultado.

Em 2016 evidenciou que a Isabela do livro é ela mesma e que foi pegando um pouco de sua vida e sonhos para criar as histórias. Mas também deixou claro que todos os outros personagens - sim, Pedro Miller também - não são reais, assim como nem tudo nas histórias dos livros pois ela mesclou muito com ficção.



Vídeos citados acima:  > Pré venda: Não Se Enrola, Não
                                 > O Pedro do Livro Existe? 



*Redes Sociais*

Instagram: @umsimplesprazer



Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!



Suh


2 comentários:

  1. Oie,
    Eu quero dar uma oportunidade a este livro, na verdade a esta série.
    Quando aconteceu o lançamento do primeiro eu pensei: esse livro é para mim. Mas comecei a ler e o livro não decolou pra mim, acabou que nunca terminei a leitura, mas tenho vontade de retomar.
    Beeeijoo!!!

    Grazy Carneiro
    Meus Antídotos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante como a gente tem o momento certo para ler determinados livros. Importante respeitar isso também. Quando comecei a ler essa trilogia passei a virar fã porque foi em um momento que eu me vi muito na protagonista e em algumas coisas que ela passava. *-*

      Excluir

Gostou? Então participa comentando abaixo ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...