Páginas

segunda-feira, 24 de julho de 2017

RESENHA | NÃO SE APEGA, NÃO


Autora: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Ano: 2014
Páginas: 256


Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.
Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.
Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.



Conheci o trabalho da Isabela logo quando seu primeiro livro foi lançado. A Editora Intrínseca fez uma grande divulgação do Não se Apega, Não e como na época, 2014, eu estava muito entusiasmada com a blogosfera, principalmente porque o blog estava completando 1 ano de existência, ficava sempre de olho nas novidades do mercado editorial.

Lembro que eu tinha gostado muito da premissa do livro, pra falar a verdade foi logo o título que me chamou muito a atenção. Mas eu não leio um livro só por ler, ok, já fiz isso com histórias que não me cativaram mas só porque não consigo abandonar uma leitura preciso estar na vibe, preparada para a leitura.

Em 2016 eu tive minha primeira decepção amorosa e só agora em 2017, sim este ano, eu decide por fim a tudo que estava sentindo e vi que era a hora de começar essa leitura.


A trama se passa em Juiz de Fora (MG) e fala sobre a vida da jovem Isabela que tem vinte e poucos anos não sei ao certo. Não se apega, não vai abordar relacionamentos com enfoque na vertente amorosa. Vamos conhecer os dilemas da personagem, seus casos de amor, suas amizades, como ela lida com términos e rejeições, sua jornada em busca do autoconhecimento, do desapego e do amor-próprio.

A protagonista, Isabela, estava vivendo um relacionamento desgastado, não se sentindo mais feliz ao lado do namorado, Gustavo. Optando pelo término ela começou a enfrentar todos a sua volta dizendo que isso era loucura, que o Gustavo era o garoto dos sonhos de qualquer menina e que eles formavam um ótimo casal.

Engraçado como as pessoas adoram dar palpites no relacionamento dos outros sem nem ter noção do que realmente se passa na relação.

Bela é uma jovem que sempre estava namorando alguém. É do tipo de pessoa que não sabe aproveitar a própria companhia, curtir a vida solteira. Na vida real não é muito diferente para algumas pessoas, principalmente pelo fato da pressão posta pela sociedade para encontrarmos a tampa da nossa panela. Assim, crescemos acreditando que precisamos de alguém ao nosso lado para assim alcançarmos a felicidade plena.


Bela vai começar a aprender a viver "sozinha", entre aspas mesmo porque quem tem família e amigos nunca está sozinho. Vai ter que se conhecer, respeitar seu próprio espaço porque precisamos de um tempo para nós as vezes, se amar, se entender, se dedicar a ela, mas sem nunca perder seu lindo lado romântico.

O livro nos ensina que é importante saber desapegar de tudo aquilo que nos faz mal e que nos atrasa. Nos mostra que precisamos carregar na nossa bagagem pessoal itens importantes para o convívio com alguém, como amor-próprio, autoconfiança, honestidade, realização pessoal e felicidade. No capítulo 4 você encontra a explicação detalhada de cada item.

Isabela é um personagem fictício que representa todas nós que já passamos ou vamos passar por decepções, seja com amores ou com amigos. A autora explicou em uma entrevista que o livro não é uma autobiografia, embora tenha relatos de experiências vividas por ela mas que foram modificadas.

Meu exemplar tem um ótimo espaçamento, uma fonte grande e cada capítulo começa com uma frase que quase sempre é um tapa na minha cara. Por mais que pareça ou se encaixe no gênero autoajuda, eu vejo mais como um bom conselheiro. Existe uma história, relatos de experiências (mesmo que fictício) e junto a isso a autora vai nos ajudando a passar por bads como decepções amorosas, nos ensinando a respeitar nosso espaço, enfim, nada chato como alguns livros que listam passos para ser mais feliz.


Se já leu, me conta ai nos comentários o que achou e se tiver alguma indicação de leitura, fique a vontade.


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!


Até a próxima,
Suh.

2 comentários:

  1. adoro esse livro, é um tapa na cara as coisas que a Isa escreve, me identifiquei muito
    https://dose-of-poetry.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também super me identifiquei!! Foi a leitura certa no momento certo.

      Excluir

Gostou? Então participa comentando abaixo ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...