Páginas

domingo, 16 de outubro de 2016

RESENHA | ARMAZÉM DO FOLCLORE


Autor: Ricardo Azevedo
Editora: Ática
Gênero: Coletânea de contos; Adivinhas
Ano: 2007
Páginas: 127


"Riquíssimo depósito de conhecimento humano a respeito da vida e do mundo...", assim Ricardo Azevedo resume o universo de contos, ditados, quadras, brincadeiras com palavras, adivinhas e outras manifestações da cultura do povo brasileiro, a fonte e a raiz de todos os textos do Armazém do Folclore. Com linguagem transparente e iconografia da rara beleza, esse livro dá continuidade ao trabalho de pesquisa que Ricardo vem desenvolvendo desde 1986 e que culminou com o sucesso da obra Meu Livro de Folclore.


Esse é mais um paradidático que li na minha época de escola. É um livro de leitura bem rápida e divertida já que reuni vários contos, ditados populares, quadras, brincadeiras com palavras, adivinhas e muito mais. Sério, revivo minha infância lendo esse livro.




Ao final da leitura tem uma nota do autor, Ricardo Azevedo, na qual ele fala um pouco sobre o processo de escrita do livro. Segundo ele, o Armazém do Folclore da continuidade a um trabalho que vem desenvolvendo desde 1986, onde o que ele quer é levar ao leitor um pouco do imenso e instigante imaginário popular.

"Acredito que os contos, ditados, quadras, brincadeiras e adivinhas populares sejam não algo para ser conservado só por ser antigo ou tradicional, mas muito mais que isso: um riquíssimo depósito de conhecimento humano a respeito da vida e do mundo [...]".




A primeira atração do livro são quadras populares e duas eu gostei bastante, me identifiquei mesmo:
  (1) Menina dos olhos grandes
      Não olha tanto pra mim
      Se não queres meu amor
      Por que me olhas assim??

  (2) Passe bem seja feliz
      Cada um que fique em paz
      Quando eu quis você não quis
      Agora não quero mais.

Logo depois veio um conto chamado "A Princesa que se Perdeu na Floresta", na verdade é uma versão de um conto popular. Achei a história muito lindinha, fala de uma princesa muito diferente das outras que costumamos conhecer, ela não se preocupa somente com a beleza. Além de perfumes e jóias, ela adora aventuras. Seu pai, frustado por não ter tido um filho homem para dá continuidade ao seu trabalho no palácio e com o povo, faz todos os gostos da filha para que esta assuma seu posto e, por isso, ele a deixa sair em uma aventura junto com caçadores. Era uma caçada na mata fechada e isso a deixava em êxtase. Ela foi e com isso sua vida e a de mais 3 pessoas muda por completo.




O segundo conto que mais gostei se chama "O Duelo Entre o Sábio e o Camponês". Neste, um o rei queria que um sábio que morava nas montanhas virasse seu conselheiro oficial, mas os nobres da corte não gostaram disso pois entre eles existiam homens tão sábios quanto aquele. Decidiram fazer, então, um teste com esse sábio que morava nas montanhas e é durante esse maravilhoso momento que nós leitores e o rei descobre que sempre pode existir duas verdades, depende do ponto de vista.

Enfim, isso fora as partes das adivinhas, são bem difíceis, das receitas e algumas brincadeiras com as palavras que até eu fazia também quando mais nova. é um livro ótimo para reviver a infância e até mesmo saber como uma antiga geração gostava de se divertir quando a tecnologia não era tão acessível como hoje.


E você, já leu este livro ou algum parecido?? Conversa comigo pelos comentários, gostaria de saber.



Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!


Até a próxima,
Suh.

2 comentários:

Gostou? Então participa comentando abaixo ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...