Páginas

sábado, 7 de março de 2015

RESENHA | AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL


Autor: Stephen Chbosky
Editora: ROCCO
Gênero: Jovem Adulto
Ano: 2012
Páginas: 223


Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores.
Foi adaptado para os cinemas com Emma Watson, a Hermione de Harry Potter, e Logan Lerman, de Percy Jackson, no elenco.
Livro de estreia do roteirista Stephen Chbosky, o romance, que vendeu mais de 700 mil exemplares nos EUA desde o lançamento, está de volta ao topo do ranking do The New York Times impulsionado pela adaptação para a telona.
Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.




Esse é mais um presente lindo que ganhei de uma amiga mais linda ainda.

Fazia um tempinho que eu queria lê-lo, mas sempre dava preferência a outra leitura. 

Confesso que cheguei a nem dá tanto crédito ao livro no começo - siim, julgando pela capa e pelo pouco o que eu sabia da história -, mas a história vai te guiando por um caminho que tu nem imagina que teria e nos surpreende.

Esse livro é diferente dos outros que já li, começando pelo fato dele ser todo formado por cartas.

A trama, composta por dramas familiares e pessoais, entrada no ensino médio, primeiros amores, enfim, uma infinidades de fatos e acontecimentos, é narrada pelo personagem principal, Charlie.

Ele resolve escrever cartas e destina-las a sabe-se quem. Um mistério ainda não revelado, mas quem sabe o destinatário num somos nós?

Charlie é um garoto introspectivo. Não é muito sociável, detesta a escola, é tímido, tem uma inocência as vezes doce as vezes irritante e uma certa confusão mental.

As cartas que ele escreve são relatos do seu dia-a-dia. Cheias de aventuras, comédias, intrigas, amores..

Charlie perdeu seu único e melhor amigo um ano antes de ingressar no ensino médio - se eu não me engano. E isso fez ele frequentar a escola ainda mais desmotivado e recuado.

Em uma de suas aulas, ele conhece um garoto muito extrovertido, que adora imitar professor, é extremamente sociável e aparenta ser muuito gente boa.

Em um jogo no ginásio da escola, Charlie ouvi o tal garoto que ele viu na sala outro dia, chamado Patrick, gritando o nome de um dos jogadores. Em um momento de impulso ele resolve ir puxar assunto e vê se tem sorte e faz novas amizades.

Patrick é um garoto maravilhoso que trata Charlie muito bem. Depois Patrick apresenta sua irmã, Sam, ao seu novo amigo e logo surge um encanto.

Não que comece aquele romance clichê entre dois jovens diferentes mas que se apaixonam. Na verdade o encanto parte do lado do Charlie. Ele se apaixona pelas belezas da Sam, mas ela, apesar de gostar muito dele, não tem todo esse amor de primeira.

Com a aproximação, Patrick e Sam, que são mais velhos que Charlie, começam a mostrar um lado do mundo adolescente que ele ainda não conhecia. É ai que ele vai frequentar as primeiras festas, experimentar as primeiras drogas, os primeiros amores, sexo.

Tudo isso, muito novo para o mundo inocente dele, começa a mexer com seu emocional e em certos momentos ele comete deslizes que geram brigas, intrigas, aborrecimentos. E tudo isso gera um surto em Charlie e é com isso que descobrimos a causa dele ser tão inseguro, introspectivo e transtornado.

Foi uma revelação que me deixou mais chocada ainda quando liguei os pontos em uma certa cena do filme.

Aparenta ser um livro bestinha, chatinho.. Mas gente, sério mesmo, não deixem de ler porque apesar de não ser uma história maravilhosamente maravilhosa, não deixa de ser boa. Vale a pena conhecer esse trio.


Você já leu? Gostou do livro também??


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!

Até a próxima,
Suh.

2 comentários:

  1. Já li o livro e vi o filme, o Charlie é uma fofura!
    http://toobege.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, ele é muito fofo mesmo - apesar de ter raiva dele em certos momentos kk.

      Excluir

Gostou? Então participa comentando abaixo ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...