Páginas

quinta-feira, 17 de julho de 2014

A HOMOSSEXUALIDADE NO MERCADO EDITORIAL BRASILEIRO




  Não se preocupem que não irei dá uma aula de boas maneiras, de ética, de moral.. Quero mesmo é focar no tema desse post, na aposta que as editoras estão fazendo na literatura infanto-juvenal gay.

  Acredito que pouco se fala a respeito do lançamento de livros com tema gay voltado para o público infanto-juvenil - também pode ser só impressão minha, mas particularmente eu ouço pouco a respeito.

  Lendo uma matéria que falava justamente sobre esse assunto - daí minha vontade súbita de fazer um post sobre - fiquei sabendo que o terceiro romance gay publicado no Brasil, só este ano, é o lançamento da Editora Record, "Garoto encontra Garoto" do autor David Levithan, que em parceria com o atual queridinho do público jovem, John Green, lançaram o "Will & Will" - também com a mesma temática.

  

Sinopse - Garoto Encontra Garoto - David Levithan

Nesta mais que uma comédia romântica, Paul estuda em uma escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile é uma quarterback drag-queen, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola... E, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah!




  
  "Garoto Encontra Garoto" foi lançado nos Estados Unidos em 2003 e causou muita polêmica e desaprovação por parte do público conservador - e também não vamos esquecer que nesse ano o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo era algo a se pensar em acontecer só em um futuro, para alguns bem distantes de preferência. 

  Depois de 11 anos, o livro chega ao Brasil e será lançado na Bienal de São Paulo, próximo mês.

  Como eu disse, esse é o terceiro livro com tema homossexual lançado aqui no Brasil só este ano, mas ainda é pouco, claro. Com a mídia se mostrando mais tolerante em relação as escolhas de cada um - um exemplo disso são as duas novelas da Globo que apresentaram um casal gay para o público (Félix e Nico / Clara e Marina) -, as editoras vão vendo que o público está começando a achar normal, a tratar como uma relação de amor, sem preconceitos, e aos poucos vão lançando mais livros com o mesmo tema.

  Bom, espero que nossa sociedade consiga, um dia, enxergar as relações homossexuais como outra qualquer. Que envolve amor, carinho, atenção, cuidado, respeito.. Espero sinceramente que possamos evoluir a ponto de abraçar essa causa e olhando para o passado, vê o quão estúpidos fomos em querer proibir o amor entre duas pessoas.



Até a próxima,
obrigada.
Suh!
  

  


6 comentários:

  1. Hello, Suh! Sou evangélico e deveria execrar essa coisa de homossexuais, mas como fazer isso se eu mesmo descobri ótimas personalidades em amigos que seguem esse rumo? Enfim, algum dia terão que aceitar isso, afinal, divorcio e adultério é o pior pecado mencionado nas sagradas escrituras, mas mesmo assim a igreja e eticos e moralistas aceitam. Amei o post, confesso que não me interesso por esses livros, mas algum dia pretendo ler Will e Will!

    http://gabryelfellipeealgo.blogspot.com.br/
    El Costa, do Confins Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando você começou o comentário citando que era evangélico já imaginei que iria dizer o que veio logo depois.. Olha, respeito sua religião, seus dogmas e tudo mais, porém, não acho que você deveria se deixar influenciar por todo que sua religião diz ser certo ou errado. Acredito que a maior função do catolicismo e do protestantismo seja ajudar os fieis a encontrar o melhor caminho para a salvação, para Deus, enfim, como você quiser falar. Mas nunca para influenciar nas opiniões. Tenta olhar o mundo com seus olhos, formar sua própria opinião. As pessoas não devem ser julgadas por suas escolhas amorosas, a gente não manda no coração, Fellipe. Infelizmente.

      Obrigada, que bom que gostou!
      Beijos *-*

      Excluir
  2. Ai que susto, achei que tudo iria desandar da metade do seu texto para o fim e você criticaria o homossexualismo, que susto HAHAHA.
    Concordo com tudo, amor é amor.

    http://listadasnuvens.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk Não tenho nada contra o homossexualismo. É uma forma de amor como outra qualquer *-*
      Pois é, amor é amor!

      Excluir
  3. Essas publicações com temática gay são de literatura internacional. Eu mesmo, sou autor, e já participei de algumas coletâneas de contos gays. O problema é que as pessoas confundem conto de ficção gay com conto erótico gay. Existem romances, coletâneas de contos e crônicas de autores nacionais, no entanto ainda é difícil encontrar nas livrarias pela falta de interesse deles mesmos. Quando se trata de autores como John Green que poderão fazê-los lucrar, a história é outra.

    Abraços
    http://www.benoliveira.com/

    ResponderExcluir
  4. Uhuum entendo.
    Na minha opinião, o problema não é confundir conto de ficção gay com conto erótico gay, mas o preconceito. Se você não tem preconceito, lida com o homossexualismo como uma relação normal, não haverá críticas a sua parte se você lê um com erótico gay, por exemplo. Você pode achar estranho, não gostar, mas ficar criticando como se fosse o 8º pecado capital, não.

    ResponderExcluir

Gostou? Então participa comentando abaixo ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...