Páginas

quinta-feira, 10 de abril de 2014

RESENHA | O GRITO VERMELHO - A SINFONIA DA MORTE - LIVRO 1



Autor: Bruno Godoi
Editora: Novo Século
Gênero: Thriller; Mistério
Ano: 2013
Páginas: 317


Horror. Drama Psicológico. Suspense Sobrenatural.
Um crime: doze corpos encontrados em uma região mística do norte da Mongólia. Um agente especial francês em luta contra seus mais íntimos inimigos: “os próprios pesadelos”. Um padre exorcista do Vaticano. Um assassino letal e misterioso que cruza o caminho das investigações do governo francês e do Vaticano, pondo em risco a segurança dos agentes e dos padres. Segredos são aos poucos apresentados e revelam as angústias e os pecados impressos nos homens. O Grito Vermelho: o lamento silencioso da alma…



  Para os amantes de livros com suspense e horror, lendo uma sinopse dessas fica logo agoniado querendo ler esse que promete ser um livro espetacular.

  Pena que o ditado já diz, quem muito promete nada cumpre. Pois é, esse não foi umas das leituras mais agradáveis que tive esse ano. Depois do livro A Garota das Cicatrizes de Fogo, do Ricardo Ragazzo - sim, outro livro da qual não gostei muito - confesso que esperava muito mais do Bruno.  


  "Os dramas são reais; as personagens, fictícias. E somos, todos nós, personagens reais vivendo dramas fictícios.."


  A história se passa na França, Brasil e com uma participação do Vaticano. O grande mistério que ronda a morte de doze pessoas se passa em uma região da Mongólia, onde são encontrados os respectivos corpos totalmente decapitados - uma coisa que adorei nesse livro é a riqueza de detalhes, cada personagem, cada corpo, cada morte, tudo é muito detalhado e nos ajuda a enxergar, mentalmente, as cenas do livro.


  O agente Louis Simon e sua equipe, altamente competente, é enviada ao Lago Su-ayna - um local fictício - para investigar essas doze mortes. O que parece ser algo fácil para a equipe muito bem treinada de Simon, se mostra assustadora com o passar das investigações.


  Quando você vai lendo a descrição dos corpos nas margens do lago, começa a perceber ,junto com a equipe, que algo muito estranho e além do que eles imaginam ter ocorrido, aconteceu ali.




  Se não bastasse a estranheza dos fatos, essa investigação vai ficando mais frustante a cada segundo que passa. O culpado não deixou uma pista se quer e para piorar a situação, a posição dos corpos, as pegadas na areia e as evidências nos mostra uma especie de suicídio coletivo. Mas como doze pessoas decapitam-se ao mesmo tempo e o que usaram para tal ato se na cena do crime não tinha mais nada além dos próprios corpos?

  Pois é, essa pergunta é feita por todos que tentam saber o que realmente aconteceu e parece que quanto mais pistas eles têm, mais longe da verdade ficam.

"O verdadeiro mal é aquilo que temos em nossos corações, pronto para sair e se apresentar ao mundo. Aquilo que mais tememos é o que temos aqui..Nossa alma." - página 82

  Simon e sua equipe voltam à França, mas sem novidades sobre caso - no dia anterior, uma chuva destruiu cada mínima evidência que estava presente na cena do crime. Chegando lá, Luis descobre que um padre, Kazarras, pode lhe ajudar e muito, no avanço das investigações. Mas antes de ir ao encontro do padre, ele tem uma dúvida na qual compartilhamos também. Por que o Vaticano está interessado na chacina de doze pessoas ocorrida na Mongólia?? 



  Indo ao encontro do padre, ele recebe uma pista e como tudo é bem vindo, sua equipe é dividida indo uma parte para o Brasil, mais especificamente ao interior de São Paulo, e a outra volta para a Mongólia.

  No Brasil, as coisas começam tomar um rumo inesperado, novos personagens nos são apresentados, novas mortes - e bem detalhadas - alimentam mais e mais a trama, novas pistas nos levam a outras pistas que nos deixam mais curiosos para saber o que existe de fato por trás desse mistério. 

"Você deve se preparar para enfrentar o que pode encontrar pela frente. Acenda uma luz nas trevas que existe dentro de você, a escuridão que há em nós é muito mais densa e perigosa do que a noite que cai sobre o mundo.Travamos sempre um conflito com algo tão grande e perigoso que nem notamos. As pessoas não percebem, mas sempre serão atacadas por algo a que não devem se entregar: seus próprios medos e desejos.." - página 85.

  Porém, como toda saga/trilogia, esse volume termina na parte que eu mais fiquei atenta. Luis Simon chegando ao Brasil e indo ao encontro da parte de sua equipe que ficou responsável por chegar as pistas no território brasileiro. 

  Estou ansiosa esperando o volume dois, sei que muita coisa pode acontecer, por isso não perdi as esperanças nesse livro, ainda tem dois volumes para salvar a história e o Bruno tem uma grande trama nas mãos para nos apresentar.


P.S.: Outra coisa me chamou muito atenção, fora a riqueza dos detalhes, foram as ilustrações.. É cada uma que te deixa de boca aberta. A duas imagens em preto e branco que coloquei acima, são do livro.


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!
Até a próxima,
Suh.

4 comentários:

  1. Aiaiai, para!! Só de ler "Horror. Drama Psicológico. Suspense Sobrenatural." quase surtei de excitação. A Resenha está maravilhosa e o livro é verdadeiramente o meu tipo favorito! Meu grito de desejooooooooooooooooooooooooo. rs

    Está fabulosa a resenha. Beijos.

    http://livrosporumbeijo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Suellen, adorei a resenha! Confesso que fiquei curioso para ler, adoro este gênero.
    As ilustrações são incríveis também.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!!
      Pois leia ele *-* As ilustrações são realmente ótimas..
      Beijos.

      Excluir

Gostou? Então participa comentando abaixo ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...