Páginas

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

CORREIO DO AMOR | SARAIVA



Adoro a sensação de obter livros novos. Poder desembalar, abrir um por um, cheirar, ver capa, contra capa, lombada, recorte, designer dos capítulos.. nossa senhora como é bom.

Sempre nos posts do Correio do Amor eu fala dos meus livros novos, seja recebidos ou comprados. Dessa vez vou falar de uma aquisição que fiz no site da Saraiva (sempre compro por lá por ter promoções mara e retirada em loja).



Já assisti aos filmes do Sherlock Holmes e conheço a série - não sei porque nunca acompanhei - e decidi ler os livros para saber se o mistério e a graça me encantam também nas páginas.

Por acaso vi no site da Saraiva esse box maravilhoso contento a obra completa dividida em quatro volumes em capa dura e artes lindas por fora e por dentro. Resolvi esperar uma promoção e comprei pela metade do preço, R$40,00. 



Ainda não li, então colocarei abaixo o nome das obras que compõe cada volume do box e com o link clicável que te direciona para a sinopse no Skoob ou em outro site que tenha disponível.

Obras Sherlock Holmes Volume 1

  

* Um Estudo em Vermelho (romance) - 1887 - Sinopse;
* O Sinal dos Quatro (romance) - 1890 - Sinopse;
* As Aventuras de Sherlock Holmes (contos) - 1892 - Sinopse.


Obras Sherlock Holmes Volume 2


* Memórias de Sherlock Holmes (contos) - 1894 - Sinopse;
* O Cão dos Baskerville (romance) - 1902 - Sinopse.


Obras Sherlock Holmes Volume 3


* A Volta de Sherlock Holmes (contos) - 1905 - Sinopse
* O Vale do Medo (romance) - 1915 - Sinopse.


Obras Sherlock Holmes Volume 4


* Os Últimos Casos de Sherlock Holmes (contos) - 1917 - Sinopse
* Histórias de Sherlock Holmes (contos) - 1927 - Sinopse.



Bom, espero gostar muito das obras assim como gosto dos filmes e da série.



*Redes Sociais*

Twitter: @SimplesPrazeres
Instagram: @umsimplesprazer



Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!



Suh

terça-feira, 26 de junho de 2018

RESENHA | NÃO SE ENROLA, NÃO


Autora: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Ano da Edição: 2016
Páginas: 224


Enrolar-se: pensar de um jeito e fazer exatamente o contrário. Não sei por que a gente se enrola tanto. Diz que não quer, não diz o que deveria e, quando se dá conta, está ocasionalmente enfiando a língua na boca de alguém, sem saber ao certo que relacionamento é esse. Convenhamos, meu cupido só pode ser surdo. Tudo que pedi foi um amor fofo, um amor coloridinho. Mas ninguém me disse que EU é que teria que colorir, né? Sinceramente, esperava bem mais desse tal de amor.



Terceiro livro da Isabela Freitas e, depois do primeiro (Não Se Apega, Não), este eu amei demais. Impressionante como sempre me identifico com os livros dessa série e sempre leio quando meu momento bate com o enredo em questão.

Continuação do Não Se Iluda, Não, a autora retrata a vida adulta dos personagens com a independência e a responsabilidades presentes no pacote. Acho maravilhoso acompanhar o crescimento de todos eles, principalmente da Isabela, no decorrer das publicações. 

Após o crescente sucesso de seu blog, Garota em Preto e Branco, e em busca de realizar se sonho de ser escritora, Isabela larga o curso de Direito em Juiz de Fora - MG e vai embora para São Paulo. Consegue um emprego como escritora de uma grande revista e entre artigos e mais artigos ela escreve seu primeiro livro. Um processo que não é tão fácil quanto ela imaginava.


Tudo está indo muito bem para Isabela, até que a vida começa a complicar um pouquinho. Como sempre né - hehe. Lembram do Pedro Miller, o melhor amigo da Bela? Pois bem, ele também mudou-se para São Paulo em busca de realizar seu sonho de ser um musico de sucesso e como o destino escreve certo por linhas tortas, ele vai morar, exatamente, no apartamento em frente ao de Isabela.

Sim, são vizinhos e isso tem seu lado bom e ruim. Bom porque toda essa mudança é muito dificil na vida de qualquer um. Você largar tudo, família, estabilidade, amigos, para morar sozinha em uma cidade grande como São Paulo faz qualquer pessoa ter umas crises de ansiedade de vez em quando.

Ter alguém conhecido e de confiança por perto ajuda a segurar a barra da solidão e da saudade para seguir em frente.

O lado ruim é que a carência também aparece de vez em quando e, ou você faz coisas que não faria racionalmente ou cria coragem para fazer o que sempre quis mas guardava como um segredinho só seu.



Digo isso porque essa aproximação entre Isabela e Pedro vai fazer eles sentirem coisas diferentes em relação aos dois e acabam começando um relacionamento meio torto, sem definição que ela chama de "isso". 

"Isso" é uma amizade colorida. Já tive algumas, inclusive passei 10 meses mantendo "isso" com meu atual namorado antes de começarmos um relacionamento sério. Nada mais é do que a parte boa de um namoro: você tem uma amizade com a pessoa; sai pra curtir frequentemente; dividem experiências, angustias, raivas; fazem vários programinhas. Parece perfeito né?

O ruim é quando um dos dois começa a gostar mais, começa a sentir ciumes, a querer mais do que tem, a se apegar e não poder cobrar nada. Sim, não existem cobranças por mais atenção, carinho ou presença na amizade colorida pois NÃO É UM NAMORO. E no final, alguém acaba magoado. Eu já fui esse alguém várias vezes (canceriana né mores).

Enfim, o livro vai nos mostrar todo o amadurecimento do casal, principalmente da Bela. Podemos acompanhar os altos e baixos dos caminhos que ela e Pedro percorrem em busca de realizar seus respectivos sonhos e como eles lidam com todas as mudanças que a vida adulta trás sem aviso prévio.

Isabela Freitas, em alguns vídeos no Youtube, falou que sempre quis escrever sobre esse tema e que os dois primeiros livros a levaram a isso. Ela revelou que foi uma experiência única e que amou bastante o resultado.

Em 2016 evidenciou que a Isabela do livro é ela mesma e que foi pegando um pouco de sua vida e sonhos para criar as histórias. Mas também deixou claro que todos os outros personagens - sim, Pedro Miller também - não são reais, assim como nem tudo nas histórias dos livros pois ela mesclou muito com ficção.



Vídeos citados acima:  > Pré venda: Não Se Enrola, Não
                                 > O Pedro do Livro Existe? 



*Redes Sociais*

Instagram: @umsimplesprazer



Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!



Suh


quinta-feira, 29 de março de 2018

RESENHA | NÃO SE ILUDA, NÃO


Autora: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Ano da edição: 2015
Páginas: 272


Depois de passar um ano sem namorado, Isabela está determinada a realizar o grande sonho de ser uma escritora reconhecida. Resolve dar os primeiros passos anonimamente, criando um blog onde assina como 'A Garota em Preto e Branco'. Em seu diário virtual, ela desabafa, fala dos amigos, dos não tão amigos assim, e confessa suas aventuras e desventuras amorosas. Assunto é o que não falta. Durante uma temporada agitada em Costa do Sauípe, na Bahia, acompanhada por Pedro, Amanda e sua insuportável prima Nataly, Isabela conhece o irresistível Gabriel, um sujeito praticamente perfeito, a não ser por um pequeno detalhe... Entre shows e passeios na praia, Isabela precisa admitir para si mesma que sente uma atração cada vez maior pelo seu melhor amigo. Em seu segundo livro, Isabela Freitas dá sequência às histórias dos personagens de 'Não se apega, não'. Dessa vez, com a cabeça nas nuvens e os pés firmemente no chão, a personagem Isabela vai em busca daquilo que seu coração realmente deseja, mesmo quando seu caminho é bem acidentado e cada curva parece esconder uma nova surpresa.



Não se Iluda, Não é a continuação do primeiro livro da Isabela Freitas, Não se Apega, Não, e mesclando entre história e conselhos ela volta a contar as aventuras da protagonista que também se chama Isabela.

Há um ano solteira, Isabela resolve investir em seu sonho de virar escritora. Ela cria um blog onde assina como Garota em Preto e Branco e explana sobre sua vida, aventuras, amores, desamores, amizades, enfim. Tudo isso sem citar os nomes verdadeiros dos envolvidos nas histórias, acontece que isto acaba lhe trazendo muitos problemas.

Junto com seus melhores amigos, Amanda e Pedro, e com sua prima insuportável, Nataly, Isabela viaja para a Costa do Sauípe, na Bahia, querendo curtir as doces e desejadas férias (além de fugir dos estresses do dia a dia).



Durante a viagem, em meio a grande batalha interna contra seus sentimentos para com o Pedro, Isabela conhece Gabriel. Este é, aparentemente, o sujeito perfeito: é lindo, carinhoso, educado, encantador, atencioso, romântico...

Mas nem tudo são flores na vida de Isabela (assim como na nossa também hehe) e ela descobre algo sobre Gabriel que acaba mexendo com as estruturas emocionais de alguns personagens.

Durante a leitura vamos sofrendo junto com a Isabela todas as angústias e sentimentos bons que ela sente. Assim como acontece no primeiro livro, nesse segundo a autora, com seu escrita leve e rápida, vai mostrando o quanto a protagonista amadureceu desde o Não se Apega, Não.




Isabela passa por altos e baixos mas nunca deixa de levantar a cabeça. Podemos acompanhar suas descobertas, felicidades, tristezas e aprendizados com a vida. Assim temos mais certeza ainda que ela é gente como a gente, que sofre como a gente, que acredita que tudo esteja perdido, que chora com a cabeça no travesseiro mas que no final consegue resolver os problemas e aprender com os erros.

Bom, sobre o livro: o exemplar é tão lindo quanto o primeiro. A cor dele é roxa e a diagramação é perfeita. No começo encontramos as 20 regras para NÃO se iludir e é cheio de quotes maravilhosos.



Se já leu, me conta ai nos comentários o que achou e se tiver alguma indicação de leitura, fique a vontade.


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!



Suh

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

CORREIO DO AMOR


Uma coisa que amo é receber livros!! Não importa se é novo ou usado, EU RECEBO FELIZ DA VIDA.

Dessas três belezinhas, os dois do Nicholas Sparks eu ganhei de uma amiga que estava se desfazendo e o que fala sobre a história do estupro eu comprei na Estante Virtual. Foi minha primeira compra pelo site e por um sebo.


Noites de Tormenta | Nicholas Sparks | Novo Conceito

Aos 45 anos, Adrienne Willis repensa toda a sua vida quando o marido a abandona por uma mulher mais jovem. Com o coração partido e em busca de descanso ela segue para a pequena cidade de Rodanthe, na Carolina do Norte, para cuida da pousada de uma amiga, Quando uma tempestade terrível se aproxima, Adrienne começa a achar que sua fuga perfeita está arruinada - isso atá a chegada do novo hóspede, o Dr. Paul Flanner. Aos 54 anos, o médico chega a Rodanthe para repensar sua profissão e relação com a família. Agora, em meio à tempestade que os cerca, os dois seres feridos procurarão conforto um nos braços do outro - e esse único fim de semana despertará sentimentos que irão acompanhá-los pelo resto de suas vidas. O título desse livro foi mudado de O Sorriso das Estrelas para Noites de Tormenta depois do sucesso do filme, que agora compõe também a capa do livro. Fonte Skoob

Querido John | Nicholas Sparks | Novo Conceito

Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar. Fonte Skoob

Estupro | Sylvana Tomaselli | Rio Fundo

Muito já foi dito a respeito do estupro...(mas) muitas perguntas permanecem sem respostas; muitas lacunas permanecem em nosso conhecimento básico. Como a lei trata o estupro em diferentes países? O estupro é hoje em dia um problema maior ou menor do que era cem ou quinhentos anos atrás? O que podem nos dizer os cientistas a respeito de por que acontecem estupros? O que têm a dizer os antropólogos sobre o motivo de os homens estuprarem em outras sociedades? Freud e os psicanalistas tiveram alguma percepção especial do tema? Este livro é nossa tentativa de reexaminar o estupro a partir de vários pontos de vista diferentes, e juntá-los todos, de modo que o tema possa ser visto pela perspectiva mais ampla. Fonte Skoob


Já leram algum?? Eu nunca li Nicholas Sparks e confesso que estou ansiosa.


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!


Até a próxima,
Suh.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

PLANNER 2018 | A.CRAFT



Olá!! O post de hoje é curtinho, quero mostrar um pouco de uma aquisição que fiz para me organizar melhor nesse ano de 2018.

Sempre fui muito organizada, tinha várias agendas para organizar minha vida e adoro fazer listas para tudo que preciso. Já fiz até uma listagem das listas que eu tinha que fazer (talvez eu tenha um problema).

Olhando vários vídeos pelo youtube eu conheci o Planner da A.Craft e logo fiquei apaixonada. Além de ser lindo, também é super prático e muito em conta já que ele é todo montável e assim podemos comprar por partes.


O Planner é composto por uma capa em couro sintético com quatro elásticos usados para prender os cadernos variados que o site da A.Craft disponibiliza.

Dentre os cadernos tem os trimestrais datados e não datados (com capa colorida ou em papel kraft), cadernos pontilhados, sem pauta, com pauta e quadriculados. Fora isso também podemos acrescentar duas pastas, uma transparente com ziper e espaços para colocar cartões e adesivos, mais uma pasta porta-caneta em papel Kraft.


O site também tem uma infinidade de coisas de papelaria. Canetas e marcadores da Stabilo, washi taps, adesivos diversos, elásticos, canetas para lettering, pingentes, uma régua exclusiva, enfim!!

É muita coisa linda para comprar, queria ter dinheiro para comprar todo o site, maaaaas...

        


Já conheciam o Planner da A.Craft??? Usam outro modelo ou preferem usar a tecnologia a seu favor?? Sou adepta do papel não tem jeito rsrsrs.

Aproveita para visitar: https://www.acraft.com.br/




Até a próxima,
Suh

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

RESENHA | NÃO ME ABANDONE JAMAIS


Autor: Kazuo Ishiguro
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Ficção Cientifica
Ano da edição: 2016
Páginas: 344


Crianças costumam ser levadas a acreditar que são especiais. Mas os alunos de Hailsham, internato inglês, são tão especiais que vivem encobertos em mistérios. De onde vêm? Para onde vão? Assim como essas crianças, que têm de descobrir por conta própria  que há de estranho em suas vidas, o leitor juntará as pistas que vão sendo deixadas ao longo da narrativa. Não Me Abandone Jamais é uma obra-prima de atmosfera e alusões.



A leitura desse livro foi feita faz tempo, mais precisamente ano passado (2017). Como fiquei afastada do blog por estar bem desmotivada acabei não resenhando na época.

Bom, já vi algumas resenhas desse livro pelo youtube, já conversei com amigas que também leram, para conhecer melhor outros pontos de vista e saber se alguém notou algo que passou despercebido por mim. Costumo fazer isso.

A narrativa de Não Me Abandone Jamais é em primeira pessoa. Kathy está prestes a dá um importante passo em sua vida e nas vésperas desse acontecimento ela começa a relatar sua história e a de seus dois melhores amigos (Tommy e Ruth) no internato de Hailsham.

Hailsham é um internato muito misterioso. Lá vivem meninas e meninos. A princípio percebemos que essas crianças passam da infância a adolescência sem qualquer contato com o mundo exterior.

Os internos têm de tudo. Ficam em dormitórios de acordo com a idade, estudam já que também tem salas de aula por lá e são muito incentivados a desenvolver seus talentos na arte, seja com poesia, pintura, esculturas. 



Não se sabe quem são os pais das crianças, como foram parar lá, o motivo delas estarem nesse internato, enfim. Os únicos responsáveis pelos internos são os chamados de Guardiões, pessoas que comandam, organizam e cuidam das crianças e do internato.

Com o tempo o leitor vai descobrindo os mistérios que rondam Hailsham e a própria existência de todos que vivem por lá. Também podemos entender o porque do livro se chamar assim, já que durante a leitura somos apresentados a teorias que podem explicar.

Diferente de algumas pessoas que já leram, eu não gostei dessa leitura. Achei ela muito chata e cansativa. A Kathy é muito songamonga e o Tommy muito sem sal. A melhorzinha é a Ruth por não ser tão apagada e insossa como os outros.

Já assisti ao filme e achei mais ou menos, melhor do que o livro pois não enrola tanto quanto. Mas ambos passam a mesma mensagem: mostra o triângulo amoroso, fala sobre perdas, solidão, frustrações e a péssima sensação de que o tempo está acabando e a gente não viveu e nem fez nada de útil.

Depois de um tempo eu lerei novamente e quem sabe minha opinião mude, mas agora eu não acho que seja um livro muito bom.



Se já leu, me conta ai nos comentários o que achou e se tiver alguma indicação de leitura, fique a vontade.


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!


Até a próxima,
Suh.

domingo, 29 de outubro de 2017

RESENHA | EU, ROBÔ



Autor: Isaac Asimov
Editora: Aleph
Gênero: Ficção Científica; Sci-Fi.
Ano da edição: 2014
Páginas: 320





" 'Eu, robô' reúne os primeiros textos de Isaac Asimov sobre robôs, publicados entre 1940 e 1950. São nove contos que relatam a evolução dos autômatos através do tempo, e que contêm em suas páginas, pela primeira vez, as célebres 'Três Leis da Robótica' - os princípios que regem o comportamento dos robôs e que mudaram definitivamente a percepção que se tem sobre eles na literatura e na própria ciência." (Skoob) "(...) um dos grandes clássicos da ficção científica, e talvez seu livro mais influente, Issac Asimov define as normas do comportamento robótico e narra o desenvolvimento das máquinas em nove histórias interligadas: desde os primeiros autômatos, incapazes de falar, até os robôs superinteligentes, aptos a tomar decisões que podem afetar todos os seres humanos." (Contracapa) 




Eu, Robô foi minha segunda leitura no clube do livro, meu primeiro contato com o autor e com o gênero ficção científica (Sci-Fi). Mencionei na resenha do Caixa de Pássaros que eu e mais quatro amigas tínhamos montado um clube de leitura onde todo mês leriamos um livro e depois nos reuniríamos para falar sobre nossas impressões, como foi a experiência da leitura, enfim. Pois bem, este foi o segundo livro sorteado e as impressões foram bem divididas.

Esse clássico Sci-Fi é divido em 9 contos com histórias interligadas que abordam os robôs. Asimov nos apresenta a vários tipos de robôs, como as primeiras criações que não falam, passando pelo modelo babá, chegando aos mais elaborados, pois criam naves espaciais, fazem contas complicadas, pensam, controlam outros robôs, enfim. O autor gosta muito de, em todos os contos, fazer uma relação entre o homem e a máquina. Mostrando que pode ser uma relação muito pacifica e construtiva.

Isaac resolveu abordar isso em seus livros porque estava cansado de sempre ver outros autores do gênero cair na síndrome de Frankenstein na qual a criação se volta contra o criador. Ele não conseguia acreditar que os robôs eram criaturas tão perigosas que sempre destruiria seus criadores.

"No entanto, mesmo quando eu era jovem, não conseguia acreditar que, se o conhecimento oferecesse perigo, a solução seria a ignorância. Sempre me pareceu que a solução tinha de ser a sabedoria. Não se deveria deixar de olhar para o perigo; ao contrário, deveria-se aprender a lidar cautelosamente com ele." (p. 307 e 308)



Em 10 de maio de 1939 ele começou a redigir uma história na qual um robô seria retratado afetuosamente. Assim nasceu Robbie, o primeiro conto do livro e um dos que mais gostei. A história fala de um robô babá que é amado pela garotinha de quem cuidava e temido pela mãe da criança.

Glória é uma garotinha de 8 anos de idade que mora com os pais em uma cidade interiorana e tem Robbie como babá e melhor amigo. Como ele é um robô muito inteligente e protetor, acaba encantando a garotinha muito rápido e deixando a mãe dela mais insegura com essa relação.

A família vive em uma cidade pequena, interiorana, dos Estados Unidos e os vizinhos começam a ficar receosos com a presença de Robbie na vizinhança. Isso faz a mãe de Glória implicar ainda mais com o robô e a entrar num dilema: ela deve ou não afastar o melhor amigo de sua filha?


A segunda história que ele escreveu e o terceiro conto do livro se chama "Razão". Eu não o tinha entendido, por isso não tinha gostado. No encontro que tive com minhas amigas para discutir sobre a leitura, acabei ouvindo o ponto de vista delas sobre esse conto e tirando algumas dúvidas que pra mim estavam vagas no livro. Resultado? Mais um conto da qual gostei!

Não vou falar muito sobre ele para não estragar as descobertas durante sua leitura e nem correr o risco de dar spoilers. A história gira em torno de uma nova criação. A empresa U.S. Robots resolveu criar um robô mais independente para que, sozinho, cuida-se de uma estação espacial deles.

Como os robôs recebem ordens de humanos, a U.S. Robots precisa de um que tenha a capacidade mental e física para comandar uma estação, dar as ordens sem a presença de humanos.

O problema é que a independência desse robô acaba indo longe demais. Ele se transforma em uma criatura altamente cética que não acredita na existência do planeta Terra e muito menos que foi criado por humanos, já que ele se considera uma raça muito superior a nossa. Adoro quando ele começa a fazer comparações entre a estrutura de um robô e de um humano para mostrar que nossa raça é inferior e, assim, incapaz de criar algo tão perfeito como os robôs.

"- Olhem para vocês - disse ele por fim. - Não digo isso com desdém, mas olhem para vocês! A matéria de que são feitos é macia e flácida, sem resistência nem força, e depende de uma oxidação ineficiente de matéria orgânica para obter energia..." (p. 85)

Esse conto é uma puta crítica ao fanatismo religioso. Em nenhum momento o autor critica a religião. Ele critica a alienação, o preconceito, a intolerância, o fanatismo que faz alguns fieis disseminarem a ideia de que somente sua religião e seu Deus são verdadeiros. Achei isso maravilhoso!

Isaac Asimov também é o responsável por criar as Três Leis da Robótica. Também o primeiro a usar a palavra "robótica". Elas (as Leis) são explicadas em sua quarta história chamada "Andando em Círculos" - o segundo conto do livro - onde o protagonista é um robô chamado Speedy que está em uma missão em Mercúrio e durante uma exploração ele começa a entrar em conflito com as três leis e, por isso,  seu cérebro positrônico não sabe o que fazer e acaba andando em círculos.

As Três Leis da Robótica
1. Um robô não pode ferir um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano venha a ser ferido;
2. Um robô deve obedecer às ordens dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei;
3. Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira ou com a Segunda Lei.

No livro você também vai ver o conto que provavelmente serviu de inspiração para o filme intitulado Eu, Robô e protagonizado pelo Will Smith. Não sei se o filme é baseado no conto, mas tem umas ideias parecidas, como a busca por um robô que teve a primeira Lei alterada e que agora é um perigo para os humanos. O conto se chama "Um robozinho sumido" e é o sexto conto do livro.

Enfim, no geral é um livro bom. Gostei de alguns contos e nem tanto de outros. Minha dificuldade, durante a leitura, em entender alguns termos ou conseguir ficar vidrada nas histórias foi pela falta de costume em ler esse gênero. É normal causar certa estranheza. 

Achei esse exemplar lançado pela Editora Aleph muito lindo. A capa e orelhas são em detalhes prateados com a imagem de um robô na frente, atrás e na segunda capa. O espaçamento das linhas no texto e a divisão dos contos são muito bons (cada conto inicia com uma folha toda preta e no centro desta tem a numeração do conto e seu nome). Só não gostei do tamanho da letra, achei pequena demais.


Se já leu, me conta ai nos comentários o que achou e se tiver alguma indicação de leitura, fique a vontade.


Já conhecem o Orelha de Livro? Não? Clica Aqui!!!


Até a próxima,
Suh.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...